sábado, junho 30, 2007

7 maravilhas... e outras tantas...

...
.
.
Este blog foi nomeado, pelo Raposa Velha, como uma das 7 maravilhas.
Agradeço ao Fliscorno a sua distinção, embora não me sinta merecedora. Pouco dou de meu … apenas escolho cores que gosto e palavras que gosto e junto-as tentando formar um todo que constitua um oásis num fim de dia ou um grito de revolta quando tudo é demais, ou um alerta quando o “céu ameaça cair-nos sobre a cabeça”.
.Desta nomeação emerge a necessidade de fazer, eu própria, novas nomeações. Tarefa difícil já que existem, por esta blogosfera fora, inúmeros cantinhos que são verdadeiras maravilhas. Muitos desses cantinhos já foram nomeados e embora me pareça que a intenção deste movimento seja a da nomeação das 7 maravilhas, escalonadas pelo número de nomeações, e que esse facto nos dá a hipótese de renomearmos cantinhos já nomeados, alguns dos quais eu também nomearia, vou tentar dar a conhecer alguns, fora dos percursos normais da maioria de muitos de nós e que, para mim, são pequenas grandes maravilhas.
.
Estão neste caso:
.

http://educarparasaude.blogspot.com – do Miguel de Sousa, um grito constante no combate pelo direito à saúde.

http://edutica.blogspot.com - do Henrique, um alerta diário a uma postura crítica e actuante face ao desprezo e desrespeito com que somos tratados diariamente.

http://msprof.blogspot.com - da Isabel que tão bem tem sabido falar das suas memórias, que tão bem sabe intervir no contexto em que vivemos, colocando dúvidas, alertando erros, equacionando caminhos; da Isabel que se sentiu obrigada por esta gente, que nos desgoverna, a abdicar do que gostava de fazer (embora ainda o pudesse fazer por alguns anos, porque força e amor para dar à escola e aos alunos não lhe faltavam) para não compactuar com as iniquidades a que nos obrigam para sobrevivermos; de uma Isabel que neste momento se sente muito triste pelo afastamento dos seus alunos….

http://oficiodiario.blogspot.com - de Torquato da Luz poemas, quadros e fotografias do autor … um oásis de bem estar no meio de toda a inquietação em que vivemos, um poeta que nos diz: “Sou de um país de sal e solidão, onde importa voltar a dizer não”.

http://outroarcanjo.blogspot.com - de vários colegas que encontraram neste espaço o campo para nos trazer aqueles “pequenos nadas” que sendo uns “pequenos tudos” constituem a brisa que no fim do dia nos põe um sorriso nos lábios.

http://passadocurioso.blogspot.com - de professores e alunos de uma das nossas escolas.. daquelas escolas em que segundo o nosso ME os professores não trabalham, não incentivam os alunos, não produzem. Um exemplo de como isso não é verdade.

http://tempodeteia.blogspot.com - de uma Teresa para quem os alunos são as flores do seu jardim, uma Teresa que os “cultiva e rega”, um a um, com todo o amor e carinho… de uma aranha que construiu inúmeras teias para apoio de colegas e alunos… de uma Teresa que teve a coragem, de em nome do seu amor pelos alunos, recusar um concurso a titular que a iria sobrecarregar com coisas que não lhe interessam na perspectiva da sua função enquanto professora.


Das minhas maravilhas de todos os dias, constam: aquelas em que sou cooperante, e outras que foram suspensas sine die e por isso não refiro, embora passe por lá constantemente na esperança de…; as que comento com assiduidade, e que fazem parte do percurso diário de muitos de nós, onde são debatidos os problemas diários de muitas das iniquidades a que estamos sujeitos e que por já terem sido nomeadas não nomeei:

http://antero.wordpress.com - do Antero
http://detritustoxicus.wordpress.com - do SL
http://educar.wordpress.com - do Paulo
http://fliscorno.blogspot.com - do Raposa Velha
http://olhardomiguel.blogspot.com - do Miguel
http://paideia-idalinajorge.blogspot.com - da Idalina
http://wehavekaosinthegarden.blogspot.com - do Kaos.
.

Adenda: acrescento este que também é merecedor de atenção, pelas inúmeras possibilidades que contém:


Maria Ema

quarta-feira, junho 27, 2007

Antes e depois da posse...

...

James Ensor
.
.
ANTES DA POSSE (ler normalmente)
.
Nosso partido cumpre o que promete.
Só os tolos podem crer que
não lutaremos contra a corrupção.
Porque, se há algo certo para nós, é que
a honestidade e a transparência são fundamentais
para alcançar nossos ideais
Mostraremos que é grande estupidez crer que
as máfias continuarão no governo, como sempre.
Asseguramos sem dúvida que
a justiça social será o alvo de nossa acção.
Apesar disso, há idiotas que imaginam que
se possa governar com as manchas da velha política.
Quando assumirmos o poder, faremos tudo para que
se termine com os marajás e as negociatas.
Não permitiremos de nenhum modo que
nossas crianças morram de fome.
Cumpriremos nossos propósitos mesmo que
os recursos económicos do país se esgotem.
Exerceremos o poder até que
compreendam que
Somos a nova política.
.
DEPOIS DA POSSE (ler de baixo para cima)
.
.
Autor desconhecido

sexta-feira, junho 22, 2007

A minha alma partiu-se...

...

Salvador Dali
.
.
A minha alma partiu-se como um vaso vazio.
Caiu pela escada excessivamente abaixo.
Caiu das mãos da criada descuidada.
Caiu, fez-se em mais pedaços do que havia loiça no vaso.
.
Asneira? Impossível? Sei lá!
Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu.
Sou um espalhamento de cacos sobre um capacho por sacudir.
.
Fiz barulho na queda como um vaso que se partia.
Os deuses que há debruçam-se do parapeito da escada.
E fitam os cacos que a criada deles fez de mim.
.
Não se zanguem com ela.
São tolerantes com ela.
O que era eu um vaso vazio?
.
Olham os cacos absurdamente conscientes,
Mas conscientes de si mesmos, não conscientes deles.
.
Olham e sorriem.
Sorriem tolerantes à criada involuntária.
.
Alastra a grande escadaria atapetada de estrelas.
Um caco brilha, virado do exterior lustroso, entre os astros.
A minha obra? A minha alma principal? A minha vida?
Um caco.
E os deuses olham-no especialmente, pois não sabem por que ficou ali.
.
.
Álvaro de Campos

sábado, junho 16, 2007

nunca perdem a jogada...


...

Francisco Goya e Lucientes - Bullfight Suerte de vara, 1824
.
.
Os ricos nunca perdem a jogada
Nunca fazem um erro.
Espiam
E esperam os erros dos outros
Administram os erros dos outros.
São hábeis e sábios
Têm uma longa experiência do poder
E quando não podem usar a própria força
Apostam na fraqueza dos outros
E ganham
Tecem uma grande rede de estratagemas
Uma grande armadilha invisível
E devagar desviam o inimigo para o seu terreno
Para o sacrificar como um toiro na arena.
.
.
Sophia de Mello Breyner

quarta-feira, junho 06, 2007

Dança de Junho

...
William Blake
.
.
Em silêncio nas coisas embaladas
Vão dançando ao sabor dos seus segredos,
Nos seus vestidos brancos e bordados,
Raios de lua pousam como dedos,
E em seu redor baloiçam arvoredos
Escuros entre os céus atormentados.
.
.
Sophia de Mello Breyner

domingo, junho 03, 2007

Tão nítido e preciso...

...

Léon Spilliaert


No ponto onde o silêncio e a solidão
Se cruzam com a noite e com o frio,
Esperei como quem espera em vão,
Tão nítido e preciso era o vazio.


Sophia de Mello Breyner

sexta-feira, junho 01, 2007

Ah! o silêncio...

...

Pál Szinyei Merse


Ah! claro silêncio do campo,
marchetado de faiscantes
pigmentos de sons!


Yeda Prates Bernis