segunda-feira, julho 31, 2006

Desencontros...

...

Ernst Ludwig


entre correntes de ar, numa estação
de caminho-de-ferro, parte alguém
e alguém está a chegar e tudo sem
se avistarem por entre a multidão.

fica o destino à solta, mas refém
de ironias do acaso e da emoção
e descuidos do tempo e da razão
nos trilhos apressados de ninguém.

ou por passarem anos, por ser vão
usar adversativas: mas, porém...,
por várias lembranças que também
desencontradamente vêm e vão

na roda da fortuna, quando quem
assim ia passando estava à mão


Vasco Graça Moura
(guião para santa apolónia)

Sem comentários: