sábado, abril 21, 2012

Grito como águas sem lugar

.
Steven Smith


Há na saudade pungente
Uma seara desejo
Uma giesta, um beijo
Sem tentação que o tente,

Uma seara apagão,
Uma só ténue lembrança,
Berço, eira-recordação
Que não passa de esperança.

E na saudade agonia,
Aquela em que eu vivo e vivia
Em movimento de fado,
Corre uma dor lancinante

Que embala a todo o instante
Como um ferrão tresloucado
A ausência de ti
E de tudo

Mesmo do que é recordado.


Paulo Anes

Sem comentários: